domingo, 28 de dezembro de 2008

Sentimento de culpa



Quem de nós nunca conviveu com este sentimento? Porque a culpa sempre foi ( e de quando a quando ainda me faz cócegas) algo presente na minha vida, decidi reflectir sobre isto hoje.
Culpa porque não se esteve ao pé de alguém quando ( consideramos nós) esse alguém mais precisava, culpa porque se comeu de mais, culpa porque em vez de se estudar para o exame X passámos o dia de mãos nos bolsos a passear sem destino nem causa, culpa porque não dissemos as palavras certas na hora certa, culpa porque não fomos o que queríamos ter sido ou o que os outros queriam que nós fossemos.
Pois aqui vai a definição da wikipédia: "O sentimento de culpa é o sofrimento obtido após reavaliação de um comportamento passado tido como reprovável por si mesmo. A base deste sentimento, do ponto de vista psicanalítico, é a frustração causada pela distância entre o que não fomos e a imagem criada pelo superego daquilo que achamos que deveríamos ter sido".

Superego. Keyword. Pelo menos, para mim. O desejo de agradar os outros, de ser o que os outros esperam de nós, de viver segundo o seu ritmo e a sua vontade. E pior ainda é quando acreditamos que agimos segundo os valores que temos para nós como certos e ainda assim, pedimos Desculpa. É um contacenso entediante e potenciador de ansiedade no viver. É como se quando a nossa vontade vai contra a vontade alheia, a culpa seja o resultado dessa subtracção que apresenta como resultado final um ego aniquilado.

Porque a ética tem que gerar culpa? Porque para que haja arrependimento em relação à acção ou inacção muitos tropeçam infinitamente na culpa? Porque é a culpa castradora? Convido-vos a reflectirem nisso e a deixarem de acumular esqueletos no armário. Aceitem-se na virtude ou no erro do momento. A culpa termina onde começa a aceitação da imperfeição.

12 wake ups:

H.L 28 de dezembro de 2008 às 21:18  

Achei este texto muito bom. Não poderia definir melhor esse sentimento que a mim também me faz cócegas. Acho que é precisamente por não querermos experienciar mais uma vez o sentimento de culpa que muitas das vezes agimos de uma outra forma supostamente mais correcta. Não vejo a culpa como algo negativo mas sim como uma forte oposição a determinados actos desmedidos que, a serem praticados sem qualquer avaliação, poderiam vir a ser bastante prejudiciais. O problema surge quando o evitar do sentimento de culpa nos despersonaliza e nos leva a tomar atitudes com as quais não nos identificamos ou com as quais não concordamos. Ainda assim, com peso e medida, acho que ninguém deve fazer tudo o quer pois o mundo estaria entregue aos caprichos e se a culpa minimizar as probabilidades de isso acontecer tanto melhor. Todos carregamos culpa disto e daquilo o que significa que temos poder de escolha... Faço sentido? Se não fizer a culpa é toda minha.:-) Enfim, somos todos culpados até prova em contrario.

susana 28 de dezembro de 2008 às 21:25  

Porque a culpa nunca morreu solteira não é Homem de Lata?:) O que eu quis mostrar é que a culpa não pode ser limitadora. Tudo tem uma função na vida e a culpa certamente tem a sua. Mas quando cai numa forma de vida, num reflexo do nosso ser é pecaminosamente cortante das nossas potencialidades. Adorei o teu comentário!
Beijinhos su

Isa 28 de dezembro de 2008 às 22:53  

Obrigada pela visita :)

Bom ano ;D

Kiss*

DANTE 28 de dezembro de 2008 às 23:12  

Aprende-se com os erros que se cometem ao longo da vida. Se bem que , a culpa , não terá que ser forçosamente um sofrimento , como se lê na wikipédia , de certa forma acho que até é uma dádiva , tendo em conta que senti-la significa que temos consciência dos nossos erros.

Jokas Susana :)

susana 28 de dezembro de 2008 às 23:38  

Dante: eu falo do sentimento de culpa como um sentimento arrastado no tempo. Não falo da culpa como algo pontual. A culpa tem a sua função. Mas vivermos na culpa, e assumi-la repetidamente como estilo de vida é que está errado.
Um beijinho para ti e obrigada pelo comentário. E sim adorei a tua serra da estrela!
su

Sam 29 de dezembro de 2008 às 13:17  

Por isso é que só há uma coisa fixe em gaijos com eu : Faço e digo o que quero, quando quero, as vezes que quero, da forma que quero...sem culpas, sem trêtas...deu trabalho, mas cheguei lá : Sou LIVRE!

the reason is you 29 de dezembro de 2008 às 13:48  

Gostei.

Nilson Barcelli 29 de dezembro de 2008 às 17:30  

Escreveste um excelente texto.
Não será a cura, mas ajuda muito a refletirmos acerca do sentimento de culpa que temos e que por vezes é infundado.
Um óptimo 2009 para ti.
Beijo.

Nuno Miguel 29 de dezembro de 2008 às 20:04  

Uma bela reflexão sem sombra de dúvida! Deixa-nos a pensar... Happy 2009

Nuno 30 de dezembro de 2008 às 11:13  

Sabes Susana, o ser humano, por mais racional que seja, ainda baseia muitas duas acções no instinto, aquela coisa inata que todos os seres vivos têm. Muitas vezes, o instinto sobrepõe-se à razão. Como se sabe, nem sempre o instinto é racional e é isso que nos faz reagir de uma forma que, mais tarde, se revela menos adequada. Se não fosse a capacidade que temos em reflectir nas nossas acções e avaliar o impacto que elas tiveram, não haveria sentimentos de culpa. Tal como, provavelmente, não haveria se a razão fosse mais forte que o instinto.

Vale-nos a capacidade de pedir desculpa, de reconhecer que erramos e de tentar remediar os nossos erros. O orgulho é também uma das nossas características e um dos factores que nos influencia o comportamento. É bom reconhecer as nossas limitações e, com elas, aprendermos a ser mais tolerantes aos erros dos outros.

Um beijo,
Nuno.

susana 1 de janeiro de 2009 às 23:15  

Sam: Só há uma?? Só uma ??' Tens mesmo a certeza Sam?? Pensa bem:) ehehehe

the reason is you: Obrigada pela tua visita!Volta sempre:)

Nilson Barcelli: Um óptimo ano para ti e aguardo mais poesia tua:)

Nuno Miguel: Obrigada!

Nuno: Sabes Nuno... eu acredito que desvalorizamos demasiado o instinto. Se o temos para alguma coisa ele serve.:)

Um beijinho para todos e peço desculpa pelos comentários atrasados

Nuno 2 de janeiro de 2009 às 11:14  

Claro que sim. O instinto nem sempre nos faz agir de forma errada, antes pelo contrário!

Um beijo,
Nuno.

Su's sounds

Este blog contém posts e comentários.

Se me quiseres contactar:


Nome:

E-Mail:

Assunto:

Mensagem:



Veja mais: Ferramentas Blog | By FormularioPRO

Wake Up clock

Su on Twitter

    follow me on Twitter

    And the winner is... Little Susie

    And the winner is... Little Susie
    da Mimo Azul

    um mimo da Miepeee

    Orgulhosamente recebido da Tecnenfermaginando, do Mimo Azul e da Malinha Viajante

    mais um miminho da Miepee... um daqueles!

    Contador

    Wake up Little Susie 2008 © Blog Design 'Felicidade' por EMPORIUM DIGITAL 2008

    Back to TOP