segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Qual Mary Poppins.

São 1:15 do dia 29 de Novembro de 2009. Escreve-se esta carta com dias de depois, de palavras ou imagens. Ainda não se sabe o que estas palavras antecedem. Não se sabe quais os sentimentos, as emoções ou pedaços dela que, no espaço intermédio, se prostarão neste seu/ teu/vosso/nosso espaço , num ilusório sentido de antagónica posse e partilha.
Wake up little Susie, começa aos poucos de deixar fazer sentido. E não é porque a Susie já cresceu o suficiente. Não. Muito ainda há para abraçar.
Chegou aqui uma Susana rompida por dentro, com o desejo de ser mais. Uma Susana corajosa, apesar de acreditar numa fragilidade auto-infligida. E nas palavras estendeu-se, recuperou-se. Nas palavras, no reconhecimento no Outro da sua existência, que é bela e útil, tanto como a pontuação numa frase. Este blog trouxe-a de volta a si. À Susana que faz perguntas e que para elas procura respostas, que ainda vive um pouco a ansiedade da incerteza, mas que, dia-a-dia, a aprende a aceitar como parte da aventura que é Viver.
Mas na vida, os caminhos são assim. Muitas das vezes não têm de ser partilhados. Só têm de ser vividos. E, apesar de saber que o desafio desta sua vida é aprender a viver com o Outro, nesta fase o animal solitário, que nela vive, precisa de levantar asas e voar.
Foi realmente um prazer. Feito com toda a amplitude do seu coração.
Tenham uma boa vida. Com a certeza que neste mundo caminha alguém que vos guarda no coração tal como a todo o ensinamento de tudo o que, com ela, partilharam.
Até já, porque o dia de amanhã já aí vem.
Vivam com Amor.

Wake Up Little Susie.

domingo, 29 de novembro de 2009

Coragem


Pergunto-me porque aos molhos se concentram, a um ritmo alarmante, uma quantidade de pessoas com falta de coragem, com a vida a passar-lhes em frente aos olhos? E o pior é mesmo quando é a nossa pessoa que, por esses caminhos avessos, caminha.

sábado, 28 de novembro de 2009

genial...

Pergunto-me por quantos STOP's e Ice Lands passamos nós na vida... e quantos são necessários para atingirmos o sublime. Porque, às vezes, a avenida parece tão comprida... talvez sejam, esses sinais, uma forma de encurtamento psicológico no estriamento de momentos. Quanto de nós temos de queimar para renascer, e para impressionar a nós e ao mundo com as nossas mudanças? Quantos arrepios de espinha nos proporcionam os encontros inesperados com o Mundo?

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Falta..

UM MÊS PARA O NATALLL!!!!!!

Sim, estou a precisar de dormir:)

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Correr


corro assim, de ouvidos tapados para o mundo
para gastar toda a energia que corre e trago dentro de mim.

sábado, 21 de novembro de 2009

Saudades

Estou feliz por ter saudades de ti
por ter ao lado, quem comigo olhe para à frente
e quem me ajude a rechear o coração de cor
Estou feliz por ter saudades de ti
mas volta cedo, por favor.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

De mim para Mim


Gosto quando me perco de mim, para me voltar a encontrar.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Hey! Sempre feliz!

Se souberes o que queres has-de ser sempre feliz?
Existe a trinidade - Ser, fazer, ter - num degradé de relevância existencial de cada um. Ainda me estico entre os três e ainda me falta um pouco muito para me preencher de uma existência cheia. Depois de me debater em alguns momentos, muitos, com a questão da felicidade, cheguei à noção de que a felicidade é, a uma curta escala, um punhado de momentos de verdade e, estende-se a toda a uma existência, num estado absoluto de autenticidade connosco mesmos e com o mundo, nós nele e ele em nós. Felicidade para mim é um estado de fusão. De nós, da nossa obra, da nossa alma no mundo. Nas coisas terrenas, mundanas do dia-a-dia, ainda procuro as que me possam conduzir a essa estado de fusão, de autenticidade e de verdade absoluta.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

O Natal chegou...


... ao meu quarto!! Como boa amante do Natal não consegui resistir! E não é que agora chego a casa e tenho este lindo e fofinho presépio à minha espera? Ah... é preciso tão pouco para sermos felizes!

Rua Sésamo

Quando a música começa eu corria para a sala e foi a única vez em toda a minha vida familiar que manipulei o comando. Quando havia Rua Sésamo não havia nada para ninguém. O comando era meu. E eu via o episódio de manha e a repetição à tarde. Porque Rua Sésamo é que era. E marcou toda uma geração, de uma forma que mais nenhum programa infantil marcará uma geração. E porque éramos crianças como uma ingenuidade que também já não se cultiva, no mundo do fastfood, fasttv, fastchildren. Rápido e sem dor. E por isso eu gosto da geração a que eu pertenci. E por pouco que não lhe pertencia. Rua Sésamo, tenho saudades. Do Poupas Amarelo ( Pai porque se chama Poupas Amarelo se é cor-de-laranja?/ Quem é o outro Poupas que só aparece no Natal? Esse sim é Amarelo! Deixa lá Susana é o primo!, do Egas, do Becas, do Monstro das Bolachas, do Cocas, do Ferrão, do Drácula, dos bichinhos que viviam nos vasos e do " Vem brincar, trás um amigo teu, e ao chegar tu vais poder também, aprender como se vai até à Rua Sésamo, até à Rua Sésamo"! Se há memórias que me povoam a infância, esta faz parte delas.

aqui a versão em inglês.

domingo, 8 de novembro de 2009

Gosto. Ando numa onda romântica.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Playmobil


Se há brinquedo que eu gosto é Playmobil. Ainda conservo o meu Jardim Zoológico da Playmobil e as horas que eu passava a brincar com ele no chão do meu quarto. Era eu com a Playmobil e o meu irmão com o Lego.
Se também partilham deste gosto pela playmobil podem visitar uma pequena exposição no Allegro. Sim... eu sei que é um CC mas há coisas que valem a pena!

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Não gosto...





...Que a Andorinha Sinhá não tenha casado com o Gato Malhado!

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Quantas reticências cabem num ponto de interrogação?


Há perguntas com anos luz de atraso. Que nos esmagam por dentro e por fora. Que não esperamos ou sempre esperámos durante dias, meses ou anos. Há perguntas para as quais não há resposta. Porque a solução do momento é do tipo pretérito perfeito. Há perguntas, cujas respostas juramos a pé juntos, saber de cor. E não sabemos. Apertam-se contra o coração tal e qual metro em hora de ponta. Só perguntas.E a minha resposta é outra pergunta: Quanto sofrimento, quantas pessoas, quantos nós de vida, quantos processos de crescimento, quantas lágrimas, quantos futuros , quantas decisões, cabem num ponto de interrogação?
E reticências? Quantas reticências cabem num ponto de interrogação?

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Quando o Natal chega mais cedo...






...meninas como eu recebem um!!!
( durmo com ele à cabeceira como faço com os presentes de Natal... sim sou uma criança grande)

terça-feira, 27 de outubro de 2009

A vida é Bela!

Depois de uma semana complicada, com mais uma noite nas urgências, veio o fim-de-semana merecido. Tróia. E o meu coração mais quentinho. Mesmo com as picadas de insecto, e as quedas – sim, quem manda uma miúda de 1,75 calçar o 36/37- o fim-de-semana foi Perfeito. Ainda para aqui estou a pensar no desperdício de água por aqueles lados… mas deixemos isso para outro dia. Como o titulo de um dos meus filmes  favoritos, a Vida é (MESMO) Bela.

DSC07131

 

 

DSC07118

DSC07157

DSC07246

DSC07240          

DSC07140

Glee: a "nossa" possivel série de culto






GOSTO.

domingo, 18 de outubro de 2009

Eu sou assim... 8+1... no geral e, às vezes, sou precisamente o contrário.

Meiga: sou carinhosa e gosto muito de dar mimo, sem esquecer que também gosto muito de o receber. Gosto do toque.

Distraída - só nos últimos dois meses, perdi os meus óculos e o meu Ipod. Costumo dizer que não sou distraída, tenho apenas um foco de atenção diferente da maioria...

Humanitária: preocupo-me com a Humanidade e sei que é minha responsabilidade fazer dela um sitio melhor e de mim uma pessoa mais útil.

Brincalhona : gosto de dar as minhas gargalhadas e, às vezes, sou um pouco palhaça

Desarrumada: desarrumada não é desorganizada... tenho a minha organização que difere dos parâmetros de arrumação dos restantes mortais, - especialmente dos da minha mãe- e ,- tirando os meus óculos -, sei sempre onde ponho as minhas coisas. Só na cozinha é que sou obsessivamente organizada.

Teimosa: Muito mesmo... mas não é aquela teimosia parva, só porque sim. Contudo, é só carregar nos botões certos:P resta saber quais são...

Curiosa: MUITO MESMO. Daquele tipo de saber todos os locais secretos das prendas de natal,de passar horas em frente da árvore de Natal, a abanar as caixas ou tentar abrir o papel de embrulho, o que dava asneira, pois trabalhos meticulosos não é comigo. E, muitas vezes, The curiosity kills the cat...

Motivada: estou sempre motivada e gosto, acima de tudo, de motivar os outros. Talvez até tinha sido essa uma das razões para qual eu nasci.

Idealista: acredito, profundamente, que a ponte entre os ideais e a realidade somos nós.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Seguir em frente.


Estava para aqui a deitar-me, a pensar como têm sido estes primeiros tempos de um fase nova na minha vida. Sinto que, inevitavelmente ,está tudo a mudar. Como se estuvesse a entrar num novo ciclo. E, pela primeira. essa mudança dá-se, de dia para dia, de dentro para fora. As mudanças estão à vista. Fico feliz quando alguém, que já não me vê há algum tempo, afirma: " estás com um ar mais feliz", ou " estás mais bonita". Porque essa beleza vem de dentro. Da energia com a qual eu escolho viver.

Essa felicidade não advém de ter ou não namorado, de ter ou não trabalho, de fazer ou não o que gosto. Mas também. Na verdade está muito acima disso.Vem de dentro. E tudo o resto se conjuga. Se encaixa.
E desenganem-se, pois há feridas em processo de cicatrização. Há noites em que sonho com elas e em que acordo com esse peso no coração. Eu sei muito bem o que é estar realmente deprimida. Apática para o mundo e para mim. O que é ser-se indiferente à vida. Simplesmente porque se esgotou todo o espaço que se tinha para a energia amorosa e, nele, nem uma ervilhinha cabe.
Sei bem o que é esse estado de tristeza profunda, onde não se deixa ninguém chegar. Mas , também sei que esse é um processo que resulta de uma escolha. E há muito que escolhi diferente. Escolho diferente todos os dias. Exploro-me, admito feliz a minha imperfeição e as minhas fragilidades, convivo com a humanidade real dos outros. Não procuro ser forte quando não o sou, nem me mostro frágil quando também o não sou.
Os meus últimos 3 anos foram recheados de experiências que eu, até então, percepcionava como experiências de perda. Mas, hoje, para mim, são inteiramente experiências de ganho. Desprovo-as da sua componente excessivamente emocional e, percepciono-as como Experiências. E as escolhas continuam aí para fazer, escolhas importantes. Mas são feitas ao meu ritmo, à medida que me torno mais forte para ser mais Eu e menos a Susana que os outros gostariam que eu fosse. Porque só procuro a Autenticidade. A autenticidade. A lição mais difícil que equivale ao verdadeiro estado de liberdade.
É isso e poder dizer, todos os dias, a quem passa por mim: Apreciem cada pedaço de vida que vos roça o corpo e preenche a alma.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Estou tão orgulhosa!


Aproveitei o dia espectacular que estava hoje e levei a criançada do meu grupo, de Dinâmicas de Grupo, para a relvazita, aqui em Carnaxide. Mais uma vez, pude notar como estes miúdos ,de hoje em dia, são comichosos: ora é a mosca, ora é a relva que pica, ora são as comichões aqui e acolá. Enfim. Mas eu cá não desisto de os levar. :)
Fizemos o nosso exercício de reflexão diário, o qual terminou com uma meditação guiada, com recurso à visualização criativa e, estou bem feliz porque os meus meninos aumentaram, em muito, a sua capacidade de concentração e estão a melhorar no que se refere á sua capacidade de visualizar e imaginar o que lhes vai sendo pedido. Aos poucos, havemos de lá chegar.
Mas, a importância deste post é muito maior que isto: estávamos nós a regressar para o ATL quando, algumas das crianças, avistaram uma torneira avariada, cuja água corria abundantemente. Vieram avisar-me, pedindo para voltarmos para trás, a fim de a fecharmos. O problema é que a torneira estava avariada e ninguém a consegui fechar. E perguntaram-me : " O que é que podemos fazer?". Naquela altura só me apeteceu abraçá-los a todos. Essa era a pergunta mágica de que lhes tinha falado na semana passada, mas num contexto diferente, no contexto de desigualdade social. E eles, espontaneamente, fizeram-na.
Ao mesmo tempo, um senhor idoso observava-os ao longe. Informou que a torneira já se encontrava avariada há alguns dias. Resmungou bastante, quando eu lhes disse que teríamos de avisar as autoridades competentes, alertando-as para o sucedido, afirmando que disso nada valeria a pena. Desanimaram-se um pouco, mas quando lhes disse que nem que tivéssemos de ir à Junta de Freguesia todos os dias, encher-lhes a caixa de email ou, quiçá, fazer uma manifestação, trataram de, ao chegarem ao ATL, escrever um abaixo- assinado, assinado por todos:) Até uma das meninas do primeiro ano me disse assim: " Eu ainda não tenho idade para assinar, mas assinei!"!! O que eu me ri:)
Estou tão orgulhosa! Amanhã lá vou eu à Junta.

domingo, 11 de outubro de 2009

Genoom

Genoom é uma rede social para famílias. No meio de tanta rede social, considero a ideia desta que vos apresento, muito engraçada. Assim, podem construir uma árvore genealógica, acompanhar o crescimento da família, podem colocar as vossos fotos, marcar reuniões, acompanhar os aniversários e etc...:) Aqui fica a sugestão:)



Rasgos de Criatividade


Sinto-me tão feliz quando tenho os meus rasgos de criatividade! Nem consigo dormir! Só me apetece escrever, escrever, escrever! Vamos ver no que vai dar...

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Coisas que me deixam feliz...


Aquela voz, do outro lado da linha, que, não fossem as múltiplas novidades, nem pareceria que já não nos vemos há quase um ano.
Não achas que ainda vamos ser assim?


P.S: Retira a parte do telefone vermelho, quando lá chegarmos a videochamada é um dinossauro das telecomunicações:)

Aprender= Pensar


Por falta de um colega meu que costuma dar expressão plástica, coube-me a mim a tarefa de ocupar essa horinha. Ora... eu não percebo mesmo nada de expressão plástica e, admito, não tenho qualquer jeito. Vou gostando de dar um ou outro rabisco e sempre gostei de pintar, mas tudo o que insira colagens e recortar, é incompatível com a minha (in) competência na área. Por isso, lá lhes pedi que pegassem numa folha e que, em dois espaços distintos, desenhassem um momento feliz e um momento triste da sua vida. No final, estavam convidados a partilhá-las com o grupo.
Fiquei espantada com a dificuldade inicial em cumprir a tarefa! Não pela dificuldade do desenho, não pela exigência artística da coisa, mas pela dificuldade em pensarem de facto em coisas menos positivas. Houve um ou dois que se chegaram a mostrar muito zangados com a tarefa. Explique-lhes que nós temos pequenas gavetas cá bem dentro de nós e que , muitos de nós, escolhemos pôr as coisas feias nas gavetas mais fundas e escuras, mas que não é por isso que elas lá deixam de estar, e que essas gavetas arranjam sempre uma forma, de se escancararem, às escondidas, quando menos esperamos. É uma espécie de marotice traquina, que as impedem de estar quietas. E, por isso, é sempre melhor sermos nós, no nosso tempo, a escolhermos quando as desejamos abrir, para não sermos surpreendidos, com teias de aranha. Contudo, com a banda sonora certa, ( sim que eu tenho fama de andar sempre com a música às costas), e com uma partilha minha, lá se foram sentindo mais confiantes para falarem das suas experiências e, a que de mais falaram, foi a experiência de morte. Especialmente dos seus animais.
Tenho tentado trabalhar, desde o inicio deste ano, com estes miúdos em Dinâmicas de Grupo, a questão da partilha, do espírito de união, da justiça e desigualdade social e, acima de tudo, criatividade. O que tenho aprendido com eles é que o mundo de hoje em dia, não lhes dá tempo para pensarem. Não lhes dá tempo para reflectirem, nem para procurarem informação. Não lhes dá tempo para quererem, desejarem serem felizes. É tudo momentâneo e impessoal. Exige-se deles trabalho, trabalho, trabalho. E torna-se o Aprender num trabalho das 8 às 18, mais as horitas de fim-de-semana e os pequenos intervalos ( ufa que sorte)! de actividades extracurriculares. Se algum pai esta a ler isto tudo que para aqui escrevo, peço: Parem um minuto. Respirem fundo. Sintam o que está à vossa volta e deixem os vossos filhos fazerem o mesmo. Vocês estão a castrar os vossos filhos, estão a condená-los às vossas vidas de corre- corre e de faz-de-conta que sou feliz.
Depois são as crises de ansiedade, a hiperactividade, os problemas comportamentais... e são eles que têm que ir ao psicólogo ou ao pedopsiquiatra. São eles que são catalogados como mal-comportados, hiperactivos, com dificuldades de aprendizagem, quando lhes tiramos todos os dias a possibilidade de perceberem que o Pensamento e a Criatividade é que os fará tornarem-se em pessoas mais fortes e úteis e não o que foi dito na aula x pela professor Y, sobre a matéria z. Estes não são mais que os sintomas de uma doença cultural, cuja virose é transportada, a todo o gás, pelos próprios pais. E somos nós que estamos a perder este potencial. Somos nós, Mundo, Sociedade, Familias, Escolas. Porque não há maior dádiva do que as crianças transportam, ainda, consigo: A capacidade de aprender de forma divertida, de amar porque sim, de ser feliz com pequenas coisas.
E, é por isso, que apesar de andar exausta, eu adoro trabalhar com estes miúdos. Porque nunca deixam morrer a grande criança que há em mim.


Hoje ganhei o dia com:

Menino 1:Sabes, o meu cão morreu envenenado..
Menina: Susy, o meu momento mais triste foi também quando a minha gata morreu!
Menino 1: Menina, queres a minha gata?


segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Raining Days


Adoro a forma como podemos ser felizes, em dias menos luminosos.
Bem-Vinda Chuva! Estava à tua espera. De sorriso nos lábios e braços abertos.

domingo, 4 de outubro de 2009

C'est si bon

Eu Sonho.
Sonho Muito.
Sonho tanto e a minha cabeça está cheia de cores,
de pessoas,
de cheiros
de ambições.
Tenho andado à procura do meu CAMINHO,
do que acredito que é a minha MISSÃO,
do que me faz estar AQUI,
NESTE preciso MOMENTO.
Na verdade, sonho o PRESENTE,
porque ambiciono um FUTURO.
E, parece que cada vez me vejo mais reflectida no que ambiciono.
E...
C'est si bon!


sábado, 3 de outubro de 2009

O stresse


Se há algo em mim que não conhecia, é a minha (in)capacidade de ser stressada. Nunca fui e agora que o descobri quero voltar rapidamente ao old me. As útimas semanas não foram de facto muito fáceis, o AVC da minha avó o seu internamento durante semanas, as saudades a acumular e o pouco tempo e disponibilidade mental para fazer o que realmente me dá prazer. Mas tudo volta ao seu lugar, e espero que o tempo voe por si mesmo.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

AMO-TE ( CHIADO) & Ondajazz

Tinha conhecido o Amo-te Tejo ( perto do Museu da Electricidade, em Belém) ao qual não tinha achado especial graça e num destes dias enquanto esticava as pernas pelos lados do Chiado, depois de passear pela Fnac dos Armazéns do Chiado ( onde tantas vezes, sem dinheiro para comprar os livros que desejava, vinda da faculdade, lá ia deixando a minha leitura marcada para o dia seguinte), lá encontrei o Amo-te Chiado. Não posso dizer que é o restaurante le plus belle para se conhecer, mas existe nele uma aura de simplicidade aliada ao charme lisboeta, que encanta e o torna especial. Adorei.
Por isso, aqui deixo a sugestão. Para culminar, um pezinho de dança no Onda Jazz, ao som de samba de botequim e de génios, como Tom Jobim, e tem-se uma noite perfeita. E nem é preciso uma Lua Cheia para a iluminar.

amo-tespot amo-te chiado

ondajazz

ondajazznatas

sumoon

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

O melhor filme que vi nos ultimos tempos...

ou... quando um peixe é um tesouro. É assim Ponyo à Beira-Mar. Um misto de conto-de-fadas, que versa sobre a amizade, pincela um pouco sobre o ambiente e do processo de conquista mútuo que advém da inocência do querer estar com o outro porque sim. Porque a maior magia está aí mesmo: onde amor reside.Acima de tudo na minha leitura do que vi, trata-se de um hino à esperança na humanidade. É essa esperança a magia. Um filme a não perder.

Acontecimentos marcantes das ultimas duas semanas

As últimas duas semanas foram plenas de movimento. Viagens, visitas, filmes e desbloqueios. Foram semanas proveitosas porque tenho a certeza que quando conseguir digerir convenientemente o que emocionalmente, espiritualmente e mentalmente aprendi, vou ser uma pessoa melhor.

Há duas coisas que ressalvo: a Ida a Braga e o entregar do meu cartão de crédito. Com a primeira percebi finalmente que casa é onde está o nosso coração e, o meu, está sempre comigo. Eu sou a minha casa. É comigo que tenho que estar bem, e acreditem que esta foi uma lição que me levou dois anos a aprender. Para mim, ter voltado foi a maior vitória deste ano. E, apesar de ter sido a minha decisão, a ti agradeço Mister D. pelo apoio incondicional, as palavras de ânimo e ombro de descanso da viagem. É sempre bom quando temos um companheiro de viagem e espanta-me ainda a tua companhia, pois já quase me tinha habituado ao ritmo da minha passada solitária.

O segundo momento, foi o adeus ao cartão de crédito: não o quero, e eu sei que esta frase pode ser um pouco egóica mas, deu-me um gozo enorme pedir ao senhor do banco para anular o meu cartão, só tive pena de não o ter visto a ser destruído:P Essa é também outra lição, tenho que aprender a viver com o dinheiro, deixar de acreditar que não mereço abundância, porque a mereço e, simultaneamente, continuar a tentar não me render à sociedade capitalista à qual nunca quis pertencer. Nos próximos post’s mostro-vos algumas das coisas a que fui assistir nos últimos dias ou locais de interesse que aqui vos deixo como sugestão. Amanhã hora de voltar ao trabalho. Terça já recebo os meus novos meninos. E estou feliz. Muito feliz.

fotos recentes 055

domingo, 30 de agosto de 2009

As coisas de que me lembro...

O conhecimento não faz mal a ninguém; a sabedoria é determinada pelo que escolhemos fazer com ele.

su

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

O novo vício... Discworld!!!!!!

I'm literaly Obsessed!

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Jardins Portáteis no Terreiro do Paço


Fiquei estarrecida:)

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

25 anos ( 19 de Agosto de 1984)

  171827 23  34 Digitalizar0010 5DSC00602 Imagem 024 Imagem 098 DSC04623DSC03796   Imagem 066 Imagem 092DSC00017  DSC01207DSC00256Picture 19     DSC05392    03-05-2009-su 087preto e branco DSC05675 açores 3 101 DSC05809 DSC06284 DSC05875

Su's sounds

Este blog contém posts e comentários.

Se me quiseres contactar:


Nome:

E-Mail:

Assunto:

Mensagem:



Veja mais: Ferramentas Blog | By FormularioPRO

Wake Up clock

Su on Twitter

    follow me on Twitter

    And the winner is... Little Susie

    And the winner is... Little Susie
    da Mimo Azul

    um mimo da Miepeee

    Orgulhosamente recebido da Tecnenfermaginando, do Mimo Azul e da Malinha Viajante

    mais um miminho da Miepee... um daqueles!

    Contador

    Wake up Little Susie 2008 © Blog Design 'Felicidade' por EMPORIUM DIGITAL 2008

    Back to TOP