sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Hoje vi um palhaço


Passeava-me pelo Chiado, pessoas e mais pessoas com sacos e sacos e mais sacos. Lojas com grandes promoções e apelos ao consumismo. Não passou já o Natal? Terão as pessoas assim tanta coisa que não gostaram ou tantas meias com número errado, a precisarem de ser trocadas? Enfim, lá ia eu a fazer o que tanto gosto. Observar. Nas ruas, tocava um rapazinho com as suas tranças rastas, dando até vontade de dançar ao ritmo alucinante do seu reggae. As pessoas paravam junto à entrada das lojas, umas olhando para o talão, outras retirando os objectos adquiridos dos sacos, verificando-os. As crianças, na sua grande maioria era levadas a reboque e iam olhando à volta, apontando o dedo para isto ou para aquilo, enquanto os pais seguiam imersos nas suas próprias conversas e raciocínios incorrompíveis pela dispersão chata e infantil daqueles seres com preocupações igualmente pequenas.
No meio de tudo isso, mesmo ao cimo da rua, lá estava ele! O palhaço! Distribuindo sorrisos, plantando gargalhadas e oferecendo balões com formas redondas e apetecíveis. Ora desfilaram flores, corações com gaiolas, mais flores, chapéus, espadas...
Nestas encruzilhadas da vida, tive a oportunidade de conhecer um palhaço e talvez isso me tenha feito hoje parar e observar com mais atenção o palhacinho que era um foco de alegria, pureza e honestidade de ser, precisamente ali. Não há coincidências. Precisamente ali. E é engraçado reparar que quem lhe presta mais atenção são precisamente as crianças. Eu estive para aqui a reflectir sobre isso e talvez seja porque talvez elas não tenham esse receio de partir para o inusitado, de expressar de forma límpida e sentida a gargalhada e de abrir o coração sem medos.
Ser palhaço para mim é uma forma de vida. Admiro-os. A forma feliz e desinteressada como levam a vida, apesar de tudo o que também carregam às costas. O lado quase ermita com que se vão deslocando pelo coração das pessoas, lembrando-lhes que todos possuimos uma criança interior que precisa de ser liberta e respeitada. E como eles o fazem tão bem. Só nós é que - na grande maioria das vezes - fazemos ouvidos moucos a essa lição. Pois hoje coloquei-me a jeito. E ele encheu-me o coração de luz, de verdade nas coisas que faz e no que é e - acredito - afastou algum comodismo materialista que por ali se passeava. Quando encontrarem um palhaço, parem, escutem e reflictam sobre o que eles vos ensina de vós.
Pergunto-me o que teria feito ele para mim? Deveria ter tido a coragem de lhe pedir.
Para o ano está-me prometido usar um nariz de palhaço. Obrigada Bigpea! Estou ansiosamente à espera!

11 wake ups:

Derfel 26 de dezembro de 2008 às 23:42  

Que Lindo :)

Realmente não há coincidências... ainda há poucos dias divagava eu acerca disso mesmo: do modo de vida de SER palhaço!
A forma como eles entregam pedaços de alegria que criam da sua própria alma, partilhando-se com os outros... e sim, com os que SEM MEDO se entregam à magia do momento, ao inusitado da situação! A todas as crianças, dos 8 meses aos 800 anos!

Agradecido por nos lembrares disto :)

São estes pedacinhos de LUZ que brilham entre as almas.

Knight_Derfel
"SOMOS LUZ dentro de nós"

DANTE 27 de dezembro de 2008 às 00:09  

Confesso que não sou fã de palhaços , há qualquer coisa que não me soa bem... Deve ser o facto de ver tanta alegria escondida atrás de uma máscara.
Mas isso sou eu...

Jokas Susana :)

Nuno 27 de dezembro de 2008 às 10:45  

Eu tenho para mim que a vida de artista não é fácil. Seja a de palhaço, a de actor, a de músico... qualquer que seja o tipo de arte traz ao seu artista uma dificuldade. É como se a arte fosse um sacrifício obrigatório a quem dela quer fazer a vida.

E tenho pena que, muitas vezes, estas actividades sejam incompreendidas. Eu adoro passar pela rua e ver teatro de rua, músicos a tocar, pintores a pintar... E, de certo modo, fico triste ao ver a maioria das pessoas a passar sem sequer parar um bocadinho para apreciar o trabalho que está a ser feito. Talvez muitos destes artistas sejam uma espécie de pedintes. Não há mal nenhum nisso, muito pelo contrário. Talvez por isso eu faça questão de deixar sempre uma moeda a quem está a fazer alguma coisa que justifique a esmola que lhe dão, ao contrário dos simples pedintes, que se sentam no chão apenas e só a pedinchar.

Bem sei que posso estar a ser injusto. Bem sei que nem toda a gente tem capacidade para tocar um instrumento, nem toda a gente tem jeito para desenhar, mas... Aqueles que estão ali, que se calhar o primeiro objectivo deles é mostrar o que sabem fazer, ajudar as pessoas a desfrutar melhor daquele lugar, não deveriam ser recompensados? Claro que sim.

Susana, lamento que o teu Natal não tenha sido o melhor. A vida nem sempre corre da forma que desejamos, mas acredito que tens a força que necessitas para ultrapassar este mau momento.

Beijos,
Nuno.

Sam 27 de dezembro de 2008 às 20:58  

Olá susana

Muito obrigada pela visita.
Susana

CãoSarnento 28 de dezembro de 2008 às 00:38  

Que bom que ainda há quem consiga encontrar a felicidade num sorriso de palhaço. Isso, ou fazer parte do 2008 (ainda que virtual 2008) de alguém.
E será preciso mais?????
Bejo.

Pedro Barata 28 de dezembro de 2008 às 19:03  

Respeito muito quem faz esse papel. É um trabalho que está cada vez a desaparecer mais, apesar dos muitos 'palahaços' que andam por aí diariamente...
Beijinhos

lady.bug 28 de dezembro de 2008 às 19:39  

:)

o palhaço tem sempre um sorriso para nos acolher

ainda que por dentro esteja despedaçado

beijinhos

susana 28 de dezembro de 2008 às 21:42  

Comentários personalizados:

Derfel: adorei o teu " entregam pedaços de alegria que criam da sua própria alma" porque é isso mesmo... há uma dádiva enorme e impressionante que até custa a perceber. :)

Dante: Alegria escondida numa máscara.. são personificações. Prefiro essas máscaras de alegria às máscaras que comigo se cruzam no dia-a-dia. Mas nem só nos palhaços se encontra pureza e felicidade:) Obrigada por passares por aqui Dante:)

Nuno:Obrigada mais uma vez Nuno. És sempre uma lufada de ar fresco por estes lados.E considero que tens muita razão. Eu não sou muito de dar dinheiro, prefiro pegar na pessoa e levá-la a comer o que desejar. Mas de facto falaste de uma coisa importante, estes artistas prestam à sua forma um serviço público. Não é uma esmola que lhes damos, é um agradecimento. Obrigada por essa reflexão aqui. Um beijinho para ti também!

Sam: de nada Sam, gostei do que por lá mostras:)Volta sempre!

Cão Sarnento:Não é preciso mais. Nós é que achamos sempre que precisamos demais:)! Um bom 2009 para ti!

Pedro Barata:Palhaços há muitos seu palerma!!!eheheheh:)

LadyBug: lá está a capacidade de dar, pergunto-me se os sorrisos, os poucos que recebe lhe aquece o coração? Um beijinho para ti!

Beijinhos para todos
Su

Cor do Sol 28 de dezembro de 2008 às 22:58  

Eu nunca gostei de palhaços. Não consigo vê-los como uma personagem alegre e sim muito triste.

Sam 29 de dezembro de 2008 às 13:19  

tenho fobia a palhaços sabias? Coulrofobia...é do caraças!

susana 1 de janeiro de 2009 às 23:10  

Comentários atrasados:

Cor-de-sol: Conheço várias pessoas que não gostam de palhaços, é absolutamente normal, e tambéma cho que há palhaços e palhaços!O joker por exemplo!!??eheheh. Caso para dizer: Se toda a gente gostasse do amarelo, não havia bom gosto! GRRRRRRRRRRRRRRRRR eu detesto esta frase!!!!:))))))))))))))) Eu adoro amarelo!

Sam: Fobia de Palhaços mas os do dia-a-dia?;)

Beijinhos meus para todos
su

Su's sounds

Este blog contém posts e comentários.

Se me quiseres contactar:


Nome:

E-Mail:

Assunto:

Mensagem:



Veja mais: Ferramentas Blog | By FormularioPRO

Wake Up clock

Su on Twitter

    follow me on Twitter

    And the winner is... Little Susie

    And the winner is... Little Susie
    da Mimo Azul

    um mimo da Miepeee

    Orgulhosamente recebido da Tecnenfermaginando, do Mimo Azul e da Malinha Viajante

    mais um miminho da Miepee... um daqueles!

    Contador

    Wake up Little Susie 2008 © Blog Design 'Felicidade' por EMPORIUM DIGITAL 2008

    Back to TOP