quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Aprender= Pensar


Por falta de um colega meu que costuma dar expressão plástica, coube-me a mim a tarefa de ocupar essa horinha. Ora... eu não percebo mesmo nada de expressão plástica e, admito, não tenho qualquer jeito. Vou gostando de dar um ou outro rabisco e sempre gostei de pintar, mas tudo o que insira colagens e recortar, é incompatível com a minha (in) competência na área. Por isso, lá lhes pedi que pegassem numa folha e que, em dois espaços distintos, desenhassem um momento feliz e um momento triste da sua vida. No final, estavam convidados a partilhá-las com o grupo.
Fiquei espantada com a dificuldade inicial em cumprir a tarefa! Não pela dificuldade do desenho, não pela exigência artística da coisa, mas pela dificuldade em pensarem de facto em coisas menos positivas. Houve um ou dois que se chegaram a mostrar muito zangados com a tarefa. Explique-lhes que nós temos pequenas gavetas cá bem dentro de nós e que , muitos de nós, escolhemos pôr as coisas feias nas gavetas mais fundas e escuras, mas que não é por isso que elas lá deixam de estar, e que essas gavetas arranjam sempre uma forma, de se escancararem, às escondidas, quando menos esperamos. É uma espécie de marotice traquina, que as impedem de estar quietas. E, por isso, é sempre melhor sermos nós, no nosso tempo, a escolhermos quando as desejamos abrir, para não sermos surpreendidos, com teias de aranha. Contudo, com a banda sonora certa, ( sim que eu tenho fama de andar sempre com a música às costas), e com uma partilha minha, lá se foram sentindo mais confiantes para falarem das suas experiências e, a que de mais falaram, foi a experiência de morte. Especialmente dos seus animais.
Tenho tentado trabalhar, desde o inicio deste ano, com estes miúdos em Dinâmicas de Grupo, a questão da partilha, do espírito de união, da justiça e desigualdade social e, acima de tudo, criatividade. O que tenho aprendido com eles é que o mundo de hoje em dia, não lhes dá tempo para pensarem. Não lhes dá tempo para reflectirem, nem para procurarem informação. Não lhes dá tempo para quererem, desejarem serem felizes. É tudo momentâneo e impessoal. Exige-se deles trabalho, trabalho, trabalho. E torna-se o Aprender num trabalho das 8 às 18, mais as horitas de fim-de-semana e os pequenos intervalos ( ufa que sorte)! de actividades extracurriculares. Se algum pai esta a ler isto tudo que para aqui escrevo, peço: Parem um minuto. Respirem fundo. Sintam o que está à vossa volta e deixem os vossos filhos fazerem o mesmo. Vocês estão a castrar os vossos filhos, estão a condená-los às vossas vidas de corre- corre e de faz-de-conta que sou feliz.
Depois são as crises de ansiedade, a hiperactividade, os problemas comportamentais... e são eles que têm que ir ao psicólogo ou ao pedopsiquiatra. São eles que são catalogados como mal-comportados, hiperactivos, com dificuldades de aprendizagem, quando lhes tiramos todos os dias a possibilidade de perceberem que o Pensamento e a Criatividade é que os fará tornarem-se em pessoas mais fortes e úteis e não o que foi dito na aula x pela professor Y, sobre a matéria z. Estes não são mais que os sintomas de uma doença cultural, cuja virose é transportada, a todo o gás, pelos próprios pais. E somos nós que estamos a perder este potencial. Somos nós, Mundo, Sociedade, Familias, Escolas. Porque não há maior dádiva do que as crianças transportam, ainda, consigo: A capacidade de aprender de forma divertida, de amar porque sim, de ser feliz com pequenas coisas.
E, é por isso, que apesar de andar exausta, eu adoro trabalhar com estes miúdos. Porque nunca deixam morrer a grande criança que há em mim.


Hoje ganhei o dia com:

Menino 1:Sabes, o meu cão morreu envenenado..
Menina: Susy, o meu momento mais triste foi também quando a minha gata morreu!
Menino 1: Menina, queres a minha gata?


5 wake ups:

Jorge Freitas Soares 7 de outubro de 2009 às 23:46  

Olá Su

Sábias palavras.. um belo post.

beijinho
Jorge

Daniel Silva (Lobinho) 8 de outubro de 2009 às 00:13  

As crianças desarmam-me sempre e são expressões como as que ouviste hoje que me transportam para uma dimensão tao humana... e tao pura.

Fatucha 8 de outubro de 2009 às 12:37  

Olá Susy, parabéns pelo blog, li este post, e fez-me lembrar os momentos que tive qdo trab com crianças como Animadora numa escola, já lá vão 10 anos...tal como tu, recebi das crianças mto conhecimento humano.bjs e vou passando por cá, tb vou adicionar o teu blog :) que conheci graças ao Daniel!

Essencialma 8 de outubro de 2009 às 16:32  

Adorei este teu post, esta partilha...é magnifico tudo aquilo que ganhamos com as crianças...e que lindo trabalho deves realizar.
Parabéns!

beijinhos

aespumadosdias 8 de outubro de 2009 às 19:07  

Que mázinha! Pedir aos miúdos para pensarem em coisas tristes?...

Su's sounds

Este blog contém posts e comentários.

Se me quiseres contactar:


Nome:

E-Mail:

Assunto:

Mensagem:



Veja mais: Ferramentas Blog | By FormularioPRO

Wake Up clock

Su on Twitter

    follow me on Twitter

    And the winner is... Little Susie

    And the winner is... Little Susie
    da Mimo Azul

    um mimo da Miepeee

    Orgulhosamente recebido da Tecnenfermaginando, do Mimo Azul e da Malinha Viajante

    mais um miminho da Miepee... um daqueles!

    Contador

    Wake up Little Susie 2008 © Blog Design 'Felicidade' por EMPORIUM DIGITAL 2008

    Back to TOP